jusbrasil.com.br
19 de Novembro de 2018
    Adicione tópicos

    Roberto Monteiro Gurgel Santos, 54, liderou a lista tríplice apresentada ao presidente Lula pela Associação Nacional de Procuradores. Ele sucederá outro cearense, Antonio Fernando de Souza.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) indicou o procurador cearense Roberto Monteiro Gurgel Santos para o cargo de procurador-geral da República. Santos substitui o também cearense Antonio Fernando de Souza, que deixou o posto no último domingo.

    Vice-procurador-geral da República desde julho de 2004, Gurgel é considerado uma opção pela continuidade da gestão de Antonio Fernando. Pelos próximos dois anos, ele ocupará o cargo máximo do Ministério Público no País. Entre as atribuições do procurador-geral estão promover ações diretas de inconstitucionalidade, dar parecer em todos os processos da competência do Supremo Tribunal Federal (STF), propor ações penais contra deputados federais, senadores, ministros e o presidente e o vice-presidente da República.

    Gurgel ainda precisa ser sabatinado no Senado e receber o apoio da maioria absoluta dos parlamentares daquela Casa para suceder Antonio Fernando Souza, cujo mandato se encerrou no último domingo. A data da sabatina não está marcada e dependerá de acerto entre os partidos para evitar demora na sucessão do procurador-geral.

    Candidato preferido por Antonio Fernando, Gurgel era o primeiro da lista tríplice encaminhada pela ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República). Em votação da associação, Gurgel apareceu como favorito com 482 votos, seguido de Wagner Gonçalves e Ela Wiecko .(429 votos) (314 votos) O voto não era obrigatório. Nas últimas três edições (2003, 2005 e 2007), Lula escolheu o primeiro da lista, respectivamente Cláudio Fontelles e Antonio Fernando (duas vezes), prestigiando a associação.

    A indefinição de quem seria o indicado deixou a Procuradoria-Geral da República sobre o comando interino da subprocuradora Deborah Duprat, a primeira mulher a comandar o Ministério Público, mesmo que temporariamente. Até que todo o processo político seja resolvido, o que pode acontecer só em agosto, Duprat permanecerá no cargo.

    Perfil

    Nascido em Fortaleza, Gurgel, de 54 anos, formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atuou como advogado no Rio de Janeiro e em Brasília, antes de ingressar no Ministério Público, em 1982, por concurso público. Especialista na área criminal, ele presidiu a ANPR entre 1987 e 1989. Ele é casado e tem dois filhos.

    O POVO/Diário do Nordeste

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)